jul
08
2013
Retrospectiva EGJ 2012
Por: Mauro de Oliveira Neto

Podemos dizer que este ano que findou, foi um ano maravilhoso.

Tivemos alguns momentos ruins, mas em sua maior parte só tivemos momentos muito bons. Felizmente os momentos bons  superaram em muito os ruins.

Além de alguns desentendimentos, por sorte somente via e-mail, tivemos o afastamento do Gildo, que esperamos retorne em breve, em  contrapartida  tivemos o retorno do Thales e a entrada da Selma, do Marcelino e do Flávio, que certamente também vieram para somar, aliás já estão somando.

No campo das descobertas, não  fomos tão felizes, ao menos no ambiente epígeo,  como em 2010, com a descoberta  do Abismo da Entrada  Estreita e 2011, com  a descoberta  do Abismo do Tronco Podre. Descobertas  estas, símbolo da persistência, da perseverança.

Já no mundo hipógeo (subterrâneo), tiramos a sorte grande, com a descoberta de novos salões, abismos, condutos e câmaras em nossa surpreendente Pedra Branca, apesar da decepção de não termos a tão sonhada e imaginada galeria, dando continuidade à esta magnífica cavidade.

O déficit ficou por conta da área técnica, visto que não fomos capazes de  concluir nenhum mapeamento. Acredito que não por falta de capacitação, mas sim por falta de empenho da maioria em demonstrar  interesse e de ter a noção da importância do desenvolvimento  deste  trabalho  para a espeleologia  em si, e também para a consolidação e o  reconhecimento pelos órgãos oficiais e pela  comunidade espeleológica, do EGJEspeleo Grupo Japi, que certamente  é um de nossos propósitos.

Por outro  lado, em meio  aos afastamentos, retornos  e entradas  de nossos integrantes, tivemos um episódio no mínimo inspirador, que só veio reforçar e aumentar o entusiasmo para seguirmos firme nesta busca pelos  ideais do Japi.

Este, foi o depoimento do nosso amigo Vaccaro, que escreveu:

Caros EGJ:
Meus sonhos sempre foram além do horizonte desde pequeno, a aventura corre nas veias, brincava de cientista, adorava as histórias que meu avô contava sobre a segunda guerra, e como ele conseguia sair das dificuldades com sabor de aventura e se borrando nas calças, e que tudo que ele nos ensinou…que nós tínhamos nome e não apelido, defender o nome com os dentes e nunca desistir dos seus objetivos, o EGJ não entrou na minha vida à-toa, de alguma forma no tempo ele começou a fazer  parte do momento e me fez acreditar que nós não somos meros civis, somos  melhores, integrantes  do  EGJ, capacitados em ser pais de família, trabalhadores, graduados; técnico, mecânico, professor, tudo em uma força de espírito, a crença de um objetivo de unir uma fé só, a união dos sonhos das maiores mentes do ser humano, o grupo EGJ, e deixar inveja a muitos dos covardes e orgulhosos, abençoados somos, exploradores do desconhecido, a marca na pedra que o tempo não apaga. Jamais largaria essa crença pois ele alimenta tudo aquilo que minha infância guardou e seria muito de minha parte deixar o EGJ, pois seria como largar meus sonhos e empobrecer meu espírito.

Amigos …se é para o bem do EGJ …diga aos integrantes que eu fico.

Alexandre Vaccaro Rodrigues (Vacca Loka)

Camarada Vaccaro, faço  minhas as suas palavras, que  me emocionaram e me trouxeram mais empolgação para continuar sonhando e trabalhando para tornar estes sonhos realidade.

O retrospecto  abaixo  segue  mostrando que as atividades relacionadas, somam 30 dias de pura dedicação à espeleologia, contando assim mais uma etapa da história do Espeleo Grupo Japi.

Se  considerarmos que o ano  tem 365 dias, podemos dizer que  dedicamos quase dez por cento destes, às atividades do EGJ. Isso é lógico sem contar todo o trabalho que existe por trás de  cada uma  destas atividades, toda a logística necessária para o sucesso de cada uma delas, as onze  reuniões e  toda a comunicação  e troca de informações  registradas através das centenas de e-mails que ajudam a contar a nossa história em cada um de seus períodos.

Por tudo isso, acho que temos motivos suficientes para nos orgulharmos de todo trabalho que resultou em todas as conquistas obtidas neste ano de 2012.

Agradeçamos a DEUS  por tudo ter corrido  dentro do planejado e com a devida segurança, sem nenhum acidente e praticamente sem  desentendimentos, ou seja, com muita  harmonia, que é uma questão de honra e fundamental para o bom funcionamento e desenvolvimento de um grupo.

Obrigado a todos!!!!

 

27ª Expedição EGJ

Data: 06 a 08 de Abril de 2012

Período: 03 dias

Participantes: Marcel, Gildo, Vaccaro, Mauro e Thales

Veículo: Gol (Gildo) e Sportage (Mauro)

Local: Passa Vinte-Apiaí-SP (Abismo Gargalo)

Objetivos: Iniciar topografia do Abismo Gargalo

Continuação da equipagem e exploração do Abismo Gargalo

Prospecção na região do Sítio Cachoeira Passa Vinte

 

27ª Expedição

 

28ª Expedição EGJ

Data: 06 a 08 de Abril de 2012

Período: 03 dias

Participantes: Marcel, Gildo, Vaccaro, Mauro e Thales

Veículo: Gol (Gildo) e Sportage (Mauro)

Local: Passa Vinte-Apiaí-SP (Abismo Gargalo)

Objetivos: Iniciar topografia do Abismo Gargalo

Continuação da equipagem e exploração do Abismo Gargalo

Prospecção na região do Sítio Cachoeira Passa Vinte

 

29ª Expedição EGJ

Data: 18 a 21 de Junho de 2012

Período: 04 dias

 

27ª Expedição EGJ 

 Data: 18 a 21 de Fevereiro de 2012
 Período: 04 dias
 Participantes: Gildo, Vaccaro, Mauro, Felipe e Sr. Airton
 Veículo: Gol (Gildo) e Caminhonete Ranger (Vaccaro)
 Local: Passa Vinte-Apiaí-SP (Caverna Pedra Branca e Pedra BrancaII)
 Objetivos: Elaborar croquis da Caverna Pedra Branca II; Equipagem e continuação da exploração da caverna; Pedra Branca e Prospecção no afloramento a margem direita,  na entrada do Vale do Rio Pedra Branca;

 

 27ª Expedição  Gildo no Abismo da Fenda

Veja também !

Parceiros
SBE - Sociedade Brasileira de Espeleologia
Maxiweb - Internet Provider